Trump não quer mais a presença de Rússia na Venezuela (foto: internet)
Trump não quer mais a presença de Rússia na Venezuela (foto: internet)

Confira Também: Para Bolsonaro, “página virada” com Rodrigo Maia

Donald Trump, presidente dos EUA, quer que os soldados russos deixem a Venezuela. Faz poucos dias que alguns aviões militares da Rússia chegaram com cerca de 100 combatentes perto de Caracas.

Para Trump, existem muitas opções em aberto para que a saída dos russos se concretize, ainda mais que ele não descarta a possibilidade de uma intervenção militar para conseguir acabar com o regime de Nicolás Maduro.

Trump não quer mais a presença de Rússia na Venezuela (foto: internet)
Trump não quer mais a presença de Rússia na Venezuela (foto: internet)

Rússia e EUA na Venezuela

Com encontro com Fabiana Rosales, a esposa do líder da oposição na Venezuela, Juan Guaidó, Trump afirmou que precisa que a Rússia saia. Para os russos, essa declaração do americano não é aceitável.

O líder da Comissão de Relações Internacionais do Conselho da Federação, disse que o Trump está tentando se meter em uma relação bilateral entre dois países soberanos. Para o líder, Cossatchov, o Trump está querendo mandar na Rússia, ditando o que ela deve ou não fazer.

Para ele, ainda as relações entre Caracas e Moscou e a cooperação dos militares nesses países estão dentro do direito internacional. No final de semana passado, foram dois aviões russos estacionando na Venezuela. De acordo com a imprensa de lá, havia cerca de 99 militares, além de 35 toneladas de equipamento militar.

O governo dos EUA já havia criticado o apoio dos russos a Maduro e com esse envio de forças militares para a Venezuela, pois é um país rico em petróleo que já está há anos passando por um caos humanitário e econômico.

Para os EUA, não irão deixar os russos piorar as tensões que já estão presentes na Venezuela. Para os americanos, o envio das aeronaves soou muito mais como uma provocação e que estão dispostos a tomar uma atitude.

Dentro de alguns países que apoiam o regime de Maduro está a Rússia. Do outro lado, países da América Latina e Europa, tais quais, EUA, Alemanha, Brasil, já reconheceram Guaidó como o presidente legítimo, este que se autoproclamou o presidente da Venezuela.

Com uma crise instaurada na Venezuela, muitos países têm entrado como uma forma de ajudar algum dos lados em que apoiam, também em busca de alguma maneira de se apropriar do petróleo do país.