Proibição de cigarro em locais públicos apresenta resultados positivos para as crianças (foto: internet)
Proibição de cigarro em locais públicos apresenta resultados positivos para as crianças (foto: internet)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) divulgou ainda nesta sexta-feira (31) alguns dados sobre as medidas restritivas com relação ao cigarro, segundo as informações as medidas tomadas evitaram a morte de 15 mil crianças entre os anos de 2000 e 2016.

A sexta-feira (31) ficou conhecida como “Dia Mundial sem Tabaco” a escolha desse dia foi feita pela própria OMS. Esse foi o primeiro estudo realizado em uma país em desenvolvimento, além do mais o mesmo acabou analisando por completo o impacto que as restrições tiveram na saúde infantil brasileira. A assinatura do estudo ficou por conta do Instituto Nacional do Câncer (Inca) além de cientistas que fazem parte do Imperial College Of London e até mesmo do Centro Médico Erasmus da Holanda.

Confira Também: Brasil registra 129 mil vagas de emprego formal no mês de abril

Proibição de cigarro em locais públicos apresenta resultados positivos para as crianças (foto: internet)
Proibição de cigarro em locais públicos apresenta resultados positivos para as crianças (foto: internet)

Necessidade de medidas em outros países

Os autores do estudo, ainda reforçaram um pouco mais sobre a necessidade dessa mesma medida ser adotada por outros países, segundo os mesmos apenas 20% da população geral está protegida através de medidas públicas de controle ao fumo.

 Segundo o estudo, a exposição do próprio bebê às substâncias nocivas do cigarro acabam causando problemas no desenvolvimento do feto, além do mais o cigarro pode fazer com que haja um parto prematuro ou até mesmo que a criança nasça com peso muito abaixo da média.

Não para por aí, segundo as informações contidas no estudo, os bebês acabam sendo afetados também após o parto, sendo que nesse caso existe um risco ainda maior de infecções respiratórias, podendo ocorrer asma e principalmente a morte súbita.

 Os dados informados ainda foram retirados de todos os nascidos vivos, das mortes neonatais e até mesmo de óbitos infantis entre os anos de 2000 até 2016. Sabidamente, aqui no Brasil a mudança na lei foi mais drástica a partir do ano de 2014, ocorreu então a proibição do cigarro em áreas públicas ou até mesmo em áreas fechadas ou parcialmente fechadas.

 Essa medida acabou por reduzir em 5,2% a mortalidade infantil no país além de que diminuiu em 3,4 % a morte neonatal. A intenção do estudo é mostrar por completo os benefícios que aconteceram durante a implantação de leis que protegem crianças e adultos da exposição à fumaça nociva do cigarro!

Fonte:https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/05/31/proibicao-de-cigarro-em-locais-publicos-evitou-a-morte-de-15-mil-criancas-no-brasil-diz-estudo-do-inca.ghtml