21 de Maio de 2019, atualizado ás 12:05

Policial invade Secretaria de Educação e mata servidora



Por: Daniel Libanio | Notícias

Compartilhar:
         

Um policial civil conseguiu invadir a Secretaria de Educação do Distrito Federal e matou uma servidora. O homem cometeu suicídio depois de realizar o crime. A mulher era funcionária da Subsecretaria de Gestão de Pessoas.

Invadindo armado o prédio na manhã dessa segunda-feira, o prédio foi evacuado também por esse período. A mulher de 43 anos não sobreviveu e acabou morrendo no local mesmo. Crime marca mais um feminicídio.

Confira Também: Enem 2019: inscrições vão até sexta-feira

Policial invade Secretaria de Educação e mata servidora (foto: internet)

Servidora é morta no DF

O policial que era um agente da PCDF que foi identificado pelo nome de Sergio Murilo Dos Santos, tinha 51 anos. Ao invadir armado a Secretaria de Educação, foi diretamente para matar Débora Tereza Correia, que tinha 43 anos.

A mulher não resistiu e acabou morrendo no local. Depois de que realizou o crime, Sergio acabou se matando também. Os bombeiros fizeram todo o procedimento para esvaziar o edifício.

Uma amiga da vítima disse que Débora e Sergio tinham um relacionamento, mas que já estavam separados. O policial que fazia parte da 13ª DP já tinha passagem por ameaça e também perturbação da tranquilidade. Ele estava respondendo a um processo por conta de violência doméstica e familiar.

Conforme secretário de Educação, o homem havia entrado armado no prédio já pela manhã de segunda-feira. Ele teria chamado a Débora para que ela saísse da sala que fica no terceiro andar. Os dois começaram uma discussão no corredor mesmo e Sérgio atingiu a vítima com um tiro. Depois disso, o policial rapidamente tirou a sua própria vida.

Relato das testemunhas

Quem estava trabalhando no edifício disse que deu para ouvir 4 disparos. A vítima trabalhava desde 2001 sendo concursada da Secretaria de Educação. Em redes sociais, Rafael Parente, secretário de Educação, confirmou mais um feminicídio.

As atividades no edifício foram suspensas. Foram acionados serviços de saúde, polícia e bombeiros. Os servidores que acabaram testemunhando o ocorrido precisaram passar por atendimento médico.

Ainda esse ano, uma outra invasão armada já havia sido presenciada pelos servidores da Secretaria de Educação, onde um professor fez a invasão, mas que não culminou em algum tipo de agressão e não ocasionou feridos.




Daniel Libanio

Daniel é empresário e empreendedor digital nato. Graduando em Direito, é o Fundador do site e gerencia as as estratégias de marketing e desenvolvimento. Contato: daniellibanio0904@gmail.com

  

0 Comentários