Mais de 8 mil voos podem ser cancelados (foto: internet)
Mais de 8 mil voos podem ser cancelados (foto: internet)

Com a suspensão da Avianca podendo acontecer, até o final do ano podem ser cancelados mais de 8 mil voos. Ontem foi anunciado que a Anac acabou barrando os voos da companhia até que ela consiga comprovar que tem capacidade suficiente para que tenha suas atividades sendo realizadas com segurança.

Podendo ter mais de 8 mil voos suspensos, a operação da companhia pode ser suspendida até o final do ano. Os voos já foram barrados e a companhia agora precisa comprovar que tem como realizar as atividades com segurança.

Confira Também: Homem mata ex namorada, invade igreja e atira em fiéis

Mais de 8 mil voos podem ser cancelados (foto: internet)
Mais de 8 mil voos podem ser cancelados (foto: internet)

Cancelamentos podem causar caos nos aeroportos

Conforme a suspensão promovida pela Anac, os voos foram barrados, o que demonstra que mais de 8 mil voos que já tinha programação para acontecer até o final do ano estão cancelados. É uma média de 39 voos por dia.

Sendo uma das maiores companhias do Brasil, a Avianca passou por uma recuperação judicial no ano passado e desde lá, tem cancelado milhares de voos. A sua operação também foi suspensa em diversos aeroportos. Com uma redução de voos, suas atividades só acontecem em 4 aeroportos.

Greve de funcionários

Ontem, os comissários e pilotos da companhia realizaram uma greve nos aeroportos de São Paulo e Rio de Janeiro. Com os funcionários alegando que não estão recebendo os seus salários e nem o depósito do FGTS.

Esse mês ainda ia acontecer um leilão para que os ativos da empresa fossem vendidos, mas foi suspenso por uma decisão da Justiça. Com a empresa recorrendo, outras companhias aéreas já manifestaram seu interesse para conseguir comprar os slots.

Ainda esse ano foi aprovada a recuperação judicial pelos credores da empresa. Se o caso for adiante, a proposta pode dividir a companhia em 7 unidades que vão funcionar de maneira isolada.

Já foram feitas propostas pela Azul pela compra dos ativos, mas acabou desistindo ao dizer que a Gol e a Latam estavam disputando também a concorrência. Azul ainda fez uma nova proposta esse mês com o valor mínimo, mas Avianca já se posicionou dizendo que não iria aceitar a proposta feita.