10 de Abril de 2019, atualizado ás 20:04

Despacho de bagagem de mão serão exigência



Por: Thiago Samuel | Notícias

Compartilhar:
         

Para bagagens de mão que estão acima do padrão, as aéreas brasileiras irão começar a exigir que sejam despachadas. As malas muito grandes geram reclamações de atrasos nos embarques, além de bagagens que são muito grandes precisarão ser despachadas já no check in.

As fiscalizações em relação ao tamanho das bagagens de mão serão ainda mais rígidas pelas companhias aéreas brasileiras nos voos nacionais, começando a partir dessa quarta-feira, 10 de abril de 2019.

Confira Também: Cantora gospel é condenada a 21 anos de prisão

Despacho de bagagem de mão serão exigência (foto: internet)

Acima do padrão será despachado

A associação que reúne as companhias aéreas, acredita que com isso, o seu objetivo é conseguir agilizar o fluxo de passageiros que ficam nas áreas de embarque, evitando que os procedimentos se atrasem.

Desde que começaram a cobrar pelas bagagens despachadas, os passageiros têm escolhido por começar a levar apenas uma mala de mão, que em alguns casos são maiores do que o padrão adotado, o que gera um transtorno na hora de adentrar no avião.

A intensificação dessa etapa de fiscalização deve começar por 15 aeroportos. Antes de ir na área de embarque, o passageiro terá que verificar se as suas bagagens estão dentro do tamanho adotado como padrão pelas aéreas. O tamanho é de 55 cm de altura por 35 cm de largura e 25 cm de profundidade.

Nas primeiras duas semanas da fiscalização rigorosa, os passageiros estarão sendo apenas orientados sobre as mudanças nas normas. Depois desse tempo, as bagagens que forem maiores do que os padrões precisarão ser despachados já no balcão de check in e podem ser cobradas por isso.

Na etapa que começa hoje, os passageiros recebem orientações em alguns aeroportos como o de Brasília, Curitiba, Campinas e Natal. Já no dia 25 de abril, o período de orientação termina e a triagem para as bagagens e exigência de despache começarão a ser exigidas para as que estiverem fora do padrão.

Dentro das companhias aéreas, o valor que pode ser cobrado pode variar de R$ 59 até R$ 220. Restante dos aeroportos também terão os seus períodos de orientações para que comece a valer a norma e serem exigidas.




Thiago Samuel

Thiago é redator do Estado News e também responsável pelas redes sociais. Além disso, ele é o responsável pelo contato e comunicação do site. Para falar com ele, basta enviar um email para samueltrainer87@gmail.com ou 79996601661

  

0 Comentários