China traz problemas ao Brasil por vender alho muito barato (foto: internet)
China traz problemas ao Brasil por vender alho muito barato (foto: internet)

Que a China é grande no mundo todos sabem, no entanto, a mesma poderá afetar aqui no Brasil cerca de 150 mil empregos que estão ligados direta ou indiretamente na cadeia do alho, esses mesmos empregos estão sendo ameaçados justamente devido a prática de dumping realizado pela China.

 Essa prática na realidade, é uma cobrança de mercadoria por um preço que está muito abaixo do custo, a intenção dos chineses é a de ganhar cada vez mais mercado e fazer com que os concorrentes fiquem atrás. Atualmente a mesma é a maior produtora do mundo, sendo que possui 78% de participação na produção do alho, essa afirmação foi plenamente confirmada pelo presidente Rafael Jorge Corsino da Anapa (Associação Nacional dos Produtores de Alho).

Confira Também: Barco explode no Acre e deixa 15 pessoas feridas

China traz problemas ao Brasil por vender alho muito barato (foto: internet)
China traz problemas ao Brasil por vender alho muito barato (foto: internet)

Agricultores estão sendo prejudicados

Segundo o próprio presidente da Anapa, entre as pessoas prejudicadas pela China, estão em torno de 4.000 agricultores familiares, que vão da Bahia ao Rio Grande do Sul, o mesmo ainda lembrou que a cadeia do alho acaba por movimentar algo em torno de R$ 800 milhões por ano.

No ano de 1996, o governo brasileiro acabou comprovando que os chineses acabavam por vender alho no exterior por um preço muito abaixo de seu custo de produção, sendo assim, nessa mesma época o governo determinou uma tarifa para que esse tempero possa entrar no Brasil, essa mesma tarifa acaba sendo revisada sempre a cada 05 anos.

Porém, desde o ano de 2016 os maiores importadores nacionais vêm conseguindo burlar cada vez mais o antidumping o mesmo que atualmente está em US$ 0,78 por quilo, para burlar os mesmos entram com liminares judiciais.

Porém, sabidamente o que pode acontecer é que a situação poderá complicar e muito para o agricultor pequeno e local, principalmente se a tarifa que vence ainda neste ano não for renovada.

O presidente da Anapa ainda afirmou que os pequenos produtores é que vem perdendo na competitividade com a máfia das liminares que claramente permite uma concorrência extremamente desleal.

 O mesmo ainda explicou que o alho é um produto completamente artesanal e que o do Brasil possui não somente maior qualidade como também maior durabilidade do que o dos asiáticos.

Fonte: Uol